quinta-feira, março 30, 2006

# Pintura

"A descoberta não é tão deprimente como se possa supor e acaso nem tão original que nunca tivesse estado a caminho ou até claramente enunciada. O objecto de Pintura aparece-se, enfim, a sim mesmo como o «Discurso-do-homem-como-Pintor» que ao fim de um milenário e sublime sonambulismo descobre nele uma «discursividade» que integralmente o não-fala. Como se o seu próprio fazer o instalasse numa diferença que o separa de si mesmo. Para se reconquistar como totalidade o Pintor desprende.se do gesto e do natural pictórico que tinha no quadro o seu lugar próprio, e transfere-o para o espaço inteiro ou tenta integrar esse espaço na seu gesto próprio associando-lhe o espectador. A Pintura do sentido restrito do termo perdeu toda a significação. Que resultou em troca?"
Eduardo Lourenço em "O Espelho Imaginário: Pintura anti -pintura não- pintura

segunda-feira, março 27, 2006

e tu como te sentes feliz???

"diminuimos a circulação quando estão em posição normal, de maneira que fiquem meio esfomeados, e duplicamos o fluxo de pseudo-sangue quando estão de cabeça para baixo. Aprendem assim a associar a posição invertida com o bem-estar. Efectivamente só se sentem verdadeiramente felizes quando estão de cabeça para baixo"
Admirável mundo novo de Aldous Huxley

sábado, março 25, 2006

Para Quem Não Gostou Do Espermalat!!!

domingo, março 12, 2006

Novo Produto no Mercado!!!

sexta-feira, março 03, 2006

Exposição no Lugar Comum



Residente na proplemática da antropologia social e cultural, na complexa diversidade das formas sócio-culturais da humanidade existente numa cidade, lugar ou espao, este projecto tenta focar o curso certo das transformações de comunidades citadinas e humanas, com o objectivo de proporcionar um olhar sobre a cidade de Lisboa, na sua multiplicidade cultural através de duas projecções de vídeo independentes de Inês do Valle e Vanessa Namora Caeiro.

quinta-feira, março 02, 2006

"não falem comigo. sou um palhaço morto!"

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

"todos os meus amigos escrevem"

"todos os meus amigos escrevem. excelente. todos os meus amigos gostam de escrever. formidável. eu próprio não desgosto de escrever, embora já não o faça. escrever é bom. escrever as palvras. escrever as coisas escrever o mundo. o mundo dentro de nós. e o mundo fora de nós. todos os meus amigos escrevem. todos os meus amigos são escritores. todos os meus amigos fazem livro.
e o pior é que não são só os meus amigos. as outras pessoas também.
(...)
só mais uma palavra. não escreva a responder. bem sei que se calhar está imune, mas nunca se sabe. apareça, apenas. eu saberei reconhecê-lo/a, e voçê também me reconhecerá com facilidade. seremos os únicos - na praça, no jardim, na rua, no café, onde quer que nos encontremos - sentados pacatamente, com um sorriso nos lábios e um livro. aberto, na mão."
rui zink in "a palavra mágica e outros contos"

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Frida Kahlo no CCB:

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Perder



FICAR SEM: não ter, não usufruir, não ouvir, não conhecer, não gozar, não compreender.
FICAR SEM FRUIR: sem perceber, sem querer, sem importunar, sem intrometer, sem pensar.
FICAR SEM FRUIR DE: de espreitar, de chatear, de invadir, de falar, de enxergar.
FICAR SEM FRUIR DE TI: de mim, de conversar, de perguntar, de apenas e somente…

terça-feira, fevereiro 14, 2006

“O "urbanita" talvez seja parecido com a planta que só cresce no meio da poluição…”(1)



Não se conhecem, mas passam pelas artérias da cidade. Devaneiam mil essências, umas das outras. Os encontros. Os afagos. As discussões. Mas ninguém conduz um gesto calado a ninguém. Não param. Cruzam por segundos certos olhares, ou toques, mas imediatamente procuram novos contactos instantâneos. E continuam.

Intersectam-se e enleiam-se as linhas dos olhares. Espantem-se texturas em toda a extensão da rua, desenhada pelos olhares de águas, de cristais e geometrias…
Depois de esgotar as inúmeras combinações, novos corpos de escamas, de coisas vivas sem nome ainda, ocupam o espaço enchendo o branco do papel…

Lá fora, habita um cheiro a refogado de cebola e alho, passando um leque de cambiantes olfactivos e cromáticos, todas envoltas no azeite que quase nada se fritou…apenas aqueceu e aquece o tal refogado… no meio da revolução interna daquilo que é Urbano, composta por carros, barulhos e pessoas, tento fugir, infiltrando-me com movimentos rastejantes, que mais parece uma pachorrenta dança, em que não é o ritmo que importa, mas o juntar e o desfazer das linhas que rastejam e por fim desaparecer.

Silêncio confuso, desta floresta virgem de cimento e betão, obra humana….porque “damos forma ás nossas construções, as quais, por sua vez, nos dão forma a nós” (2). Ferro e aço, o material necessário na configuração, estrutura, e pele…pedaços de cor, jogos de caminhos e de gentes…acumulações de multidões em gigantescas caixas verticais, gavetas, essas prateleiras de humanos, onde o pó será um dia organizado, serão fumo por ordem alfabética…

E no fundo, todos os seres humanos parecem ser uma espécie de bicho, insecto, micróbio, bactéria e parasita. Amanham, cultivam, produzem o que precisam, consomem, gastam, debitam o que podem e destroem, aniquilam, apagam todo o resto. E se precisarem de bombardear o resto do mundo para proteger o seu bocadinho de território, terra, espaço, estão prontos para o ataque.!!!

Tal como uma planta que morre por excesso de luz. Crio raízes, cresço como uma árvore, e não posso duvidar de que encontrei de certa forma o meu sitio… e com ele uma medida de liberdade relativa…
Metamorfoseio-me. Aparência de germe. De planta que cresce de cabeça para baixo. Algures dentro da poluição.


(1) Jordí Borja I Sebastia
(2) Winston Churchill

Amor ou Ódio... Qual Escolhes?

domingo, fevereiro 12, 2006




Sucessivo movimento de desarticulações, transmutações, substituições, metamorfoses e exaltantes perseguições de equivalências, num sentido de correlação.
Tenho lembrança, recordação, reminiscência, ou memória e nada foi abandonado, extinto, morto ou esquecido e na linha presente existe no respirar, um contrato branco com uns poderes demoníacos… e volto a expirar e inspirar!!!
(post)

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Clarões de espelho



Clarões de espelho, de coisa que nos diz… é igual, semelhante, parecido… estranhamente parecido, completamente idêntico mas inverso…
de coisa que nos diz…. Real. Sim! Transparente realidade do existir, do haver, do palpável, do sentir e do ter… Ter?...
de coisa que nos diz… do talhar a tua imagem e semelhança… da minha paisagem humana…onde mapa é teu. Teu?....
De coisa que nos diz, muita ou pouca, mas que nos diz.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

XXIX (12) [SONETO DA DAMA CAGANDO]





Cagando estava a dama mais formosa,
E nunca se viu cu de tanta alvura;
Porém o ver cagar a formosura
Mete nojo à vontade mais gulosa!

Ela a massa expulsou fedentinosa
Com algum custo, porque estava dura;
Uma carta d'amores de alimpadura
Serviu àquela parte malcheirosa:

Ora mandem à moça mais bonita
Um escrito d'amor que lisonjeiro
Afetos move, corações incita:

Para o ir ver servir de reposteiro
À porta, onde o fedor, e a trampa habita,
Do sombrio palácio do alcatreiro!


poemas eróticos de:
BOCAGE, O DESBOCADO;
BOCAGE, O DESBANCADO

XIII [SONETO DO PAU DECIFRADO]




É pau, e rei dos paus, não marmeleiro,
Bem que duas gamboas lhe lobrigo;
Dá leite, sem ser árvore de figo,
Da glande o fruto tem, sem ser sobreiro:

Verga, e não quebra, como zambujeiro;
Oco, qual sabugueiro tem o umbigo;
Brando às vezes, qual vime, está consigo;
Outras vezes mais rijo que um pinheiro:

À roda da raiz produz carqueja:
Todo o resto do tronco é calvo e nu;
Nem cedro, nem pau-santo mais negreja!

Para carvalho ser falta-lhe um U; [carualho]
Adivinhem agora que pau seja,
E quem adivinhar meta-o no cu.


poemas eróticos de:
BOCAGE, O DESBOCADO;
BOCAGE, O DESBANCADO

PASSATEMPO para bloggers

Vá vá eu jogo....
mas não sei se quero repetir!!!!


Que comece o jogo.

As Correntes na Blogosfera

Aqui vai.... As minhas 5 manias:

1. Beber uma chávena de café ao acordar.
2. Fazer tudo ao mesmo tempo.
3. Ter sempre os pés quentes.
4. Ver desenhos animados
5. Observar as pessoas no metro



Agora convido os seguintes blogs:

http://sernaoparecer.blogspot.com///
http://autopsiadadecadencia.blogspot.com// (anjo negro)
http://www.lolasemdormir.blogspot.com/
http://negratinta.blogspot.com/
http://wadirun.blogspot.com//

uff... já está!
Ps: não quero mais brincar!!!


terça-feira, fevereiro 07, 2006


Há uma ligeira irritação encoberta, que sai, no ar inorgânico que me cerca. Sou eu, entre mim e eu . Numa diplomacia de luta surda.
Preciso de café!!!

"Até logo"...


Pouco e pouco aproximas-te de ti...
melancolia
sons alternantes
e o brilho, a luz estiveram mais longe
ontem mais perto
hoje menos longe
e amanhã mais perto
mas permaneces
as cores ganharão tonalidades e forças
e tu... grande, serás ainda maior...
estrangulam-se as ideias
distribuem-se dás o primeiro passo e o segundo vem a seguir
num mundo de traço indefinido
Estás contigo
"até logo"... A esse tempo!!!

sábado, fevereiro 04, 2006

Só Não Viu Quem Não Quis...



Estar em pé, encostado a uma parede, á noite e ao frio, em frente aos Armazéns do Chiado, durante uma hora e tal, gelado até aos ossos, dá para assistir a muita coisa…

Hum hum

Enquanto uma mulher, de uns 30 anos, de calças de ganga justas, saltos altos de bico e uma mochila ás costas, andava de um lado para o outro, sempre a falar ao telemóvel, uma velhota conservadora, olha com desdém aquelas paisagens.
Os táxis paravam recolhiam clientes e avançam em loop, sempre sem parar a uma velocidade extraordinária, qual montanha russa….
Á minha direita uma “motoreta” amarela já me tinha direccionado o olhar. Parada, desde sempre, no meio do nada. Sítio de pessoas e de passageiros. Mais tarde o seu cerco está vazio. O dono chegou!!!
Um grupo de pessoas que acabou as aulas da faculdade de belas artes, estaciona, mesmo em frente do meu observar e têm uma conversa de (desculpem lá) de merda…
Acolá ouvem-se palavras alemãs. É um gajo louro, alto e branco, que fala ao telemóvel. (mais outra personagem que não larga este objecto). Passa para a direita, depois para a esquerda. E eu só o vou vendo em certos “frames” do meu filme.
Olho para o lado e reparo em dois homens, falam em maneira cor –de – rosa, da nova loja de decoração de um amigo, com preços muito acessíveis ao design novo…

Hum hum…

Os “estraquinados” passam por mim. um vento se apruma. O seu modo de andar dá-me atenção. E continuo imóvel a acompanhar os seus passos. Estão a subir a rua do Chiado em direcção ao largo do Camões, lá para cima… olhos que se reviram, para alcnçar qualquer brilho. Narizes fanhosos, de causa diversa, certa constipação, ou gripe de espécie aviaria, talvez!!!
E ouve-se:
- sniff… tens aí 20 euros para mim?
Silenciosamente, o bacano que ouvira tais sons, puxa de um saco pequeno e branco, do seu bolso traseiro e meteu leve e discretamente no bolsinho lateral da manga do casaco, enquanto o outro e em tempo directo lhe passava a nota de 20 euros…

Só não viu quem não quis!!!

Hum hum

Ali fiquei a ver e ouvir as pessoas. Acaba por ser interessante, especulamos, imaginamos valores e morais para cada uma delas. Parece estar num laboratório, do qual fazemos parte integrante da experiência e estudamos exaustivamente os díspares comportamentos humanos de quem por ali passa, fala, diz. Palavras soltas, movimentos próprios,,, enfim; peidos humanos!!!

Qual t-shirt escolhias?


Spum spum spum!!!
Pum pum!!!

Djs Soundealers, DJ Set, Deep House, Soul, Funk, Sonoridades Vocais, Disco e Actualizações de guitarra, baixo, saxofone, percursão de genuinos musicos... Assim fazem fé os dois: SOUNDEALERS

Por mera conversa e na hora de almoço do Pátio do Sol, na Fabrica da Pólvora em Barcarena, vem "á baila" a proposta de eu fazer um logotipo e umas t-shirts para os Djs referidos.
Apenas havia algumas limitações; á frente tinha de estar a palavra "Soundealers" e nas costas da t-shrit tinha de se ler " addicted to vinyl", resto era apenas criar!!!
Bem...como a vida é construida pelas oportunidades que podemos agarrar ou deslargar, eu agarrei esta e assim estriei-me a fazer alguns grafismos para umas t-shirts.

Diz-me qual gostas mais, e qual aquela que gostavas de ter...

T-SHIRT 1:



T-SHIRT 2:



T-SHIRT 3:



Spum spum spum!!!
Pum pum!!!